quarta-feira, 31 de março de 2010

coreografia, coreografia!
eu preciso aprender a minha coreografia!

felicidade.

a felicidade está onde eu quiser que ela esteja.

paixão.

quem erra ao se apaixonar
só pode se corrigir amando.

carpinejando.
fazia tempo que eu não vivia um dia lindo assim...
chocolate branco.
o sol brilhando.

posso suspirar mais algumas vezes?

terça-feira, 30 de março de 2010

poema de dois amores.

seremos poetas?

astronautas.
sonhadores.
libertários.

amantes.
loucos de cara.
cheios de vida.

selvagens?

compositores.
andarilhos.
incansáveis.

vertigens.
perfumes.
amores.

seremos poetas.
seremos amores.

(autores conhecidamente desconhecidos)

é quase delirar.

cada dia vc vem com um novo motivo pra me fazer sorrir...
sorriso sem som, aquele da boca.
que acompanham um brilho intenso do olhar.

borboletas na barriga, querem voar!

ah, hoje tudo me inspira.

segunda-feira, 29 de março de 2010

no meio da manhã...

ficou um pouco do teu cheiro em algum lugar
que surpresa deliciosa.
tudo muda o tempo todo no mundo.

correio feminino (ou: a aninha tem que ler isto)


as pessoas que se comprazem no sofrimento, que gostam de sentir-se infelizes e fazer aos outros infelizes, jamais poderão orgulhar-se de sua beleza.

o mau humor, o sentimento de frustração, a amargura marcam a fisionomia, apagam o brilho dos olhos, cavam sulcos na face mais jovem, enfeiam qualquer rosto.

essa é a razão porque a mulher, que cultiva a beleza, deve esforçar-se para ser feliz.

felicidade é estado de alma, é atmosfera, não depende de fatos ou circunstâncias externas.

ai, ai...
por clarice lispector, correio feminino
entre as tantas coisas que adorei hoje.

eu.

uma vez eu escrevi

a cada dia mais leve
me leve mais a cada dia

hoje resolvi mudar...

me levo mais a cada dia.
eu me levo...

os 15 minutos...

me dá 15 minutos?

e a vida se torna cada vez mais leve.
está tudo dentro de mim.

ainda.

superando limites, paradigmas
muitos deles impostos por mim mesma

indo mais além
talvez onde eu agora nem consiga enxergar

ainda.

domingo, 28 de março de 2010

rainy days...

como é booooom acordar tarde de vez em quando...

sábado, 27 de março de 2010

picolina!!!!
adoro.
a maior demonstração de egoísmo é a falta de sensibilidade.

o segredo dos seus olhos.

se a gente ficar pensando,
pensando,
pensando...

vai ter muitos passados
e nenhum futuro.

(o segredo dos seus olhos)

quase opostos.

um dia que começou triste…
com decepções quase absurdas...

mas terminou superando todas as expectativas

surpresas, surpresas.
surpreendente!

ai, surpresas...

sexta-feira, 26 de março de 2010

um tanto quanto triste ver pessoas evoluídas fazendo coisinhas tão pequenas e desnecessárias...

quarta-feira, 24 de março de 2010

suspiros antes de dormir...

sat chakra com o mestre edgardo...
uma das coisas mais lindas que vivi.

saber viver.

não sei... se a vida é curta
ou longa demais pra nós,
mas sei que nada do que vivemos
tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.
muitas vezes basta ser:
colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que acaricia,
desejo que sacia,
amor que promove.

e isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
é o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
mas que seja intensa,
verdadeira, pura...
enquanto durar.

cora coralina

(veio do blog dessa mocinha aqui, que é incrivelmente incrível)
vou escrever uma carta de amor
amor ingênuo
amor platônico
amor eterno

de mim,
para mim mesma.

tudo.

tudo que eu preciso
é tudo que eu tenho.

(outdoor da levi's)
agora eu entendi tudo.

uma nova respiração...

inspira... suspira!

terça-feira, 23 de março de 2010

segunda-feira, 22 de março de 2010

anche i silenzi hanno parole.



voglio parlare al tuo cuore
leggera come la neve
anche i silenzi lo sai hanno parole

dopo la pioggia ed il gelo
oltre le stelle ed il cielo
vedo fiorire il buono di noi
il sole e l'azzurro sopra i nevai

vorrei illuminarti l anima
nel blu dei giorni tuoi più fragili io ci sarò
come una musica come domenica di sole e d'azzurro

voglio parlare al tuo cuore
come acqua fresca d'estate
fare fiorire quel buono di noi
anche se tu, tu non lo sai

vorrei liberarti l'anima come vorrei nel blu
dei gironi tuoi e fingere che ci sarò
come una musica come domenica
di sole e d'azzurro

voglio parlare al tuo cuore
voglio vivere per te di sole e d'azzurro

sempre bom.

me pego pensando em vc.
mentalizando vc...
vamos fugir?

pequena princesinha...

dia estranho...

domingo, 21 de março de 2010

muitas descobertas.

genteboa.com.br

agora!

esse guarda-roupas no meu quarto
tipo assim, agora!
tem mais aqui

coisas do fim de semana.

lá vem o pato – claudia barbisan
que isto fique entre nós, museu do trabalho



fora do ar – casa de cultura mario quintana
que isto fique entre nós – museu do trabalho
paisagens de dentro – iberê camargo

porto alegre é demais mesmo.

o chapéu da pinheira.

you learn.

you live, you learn
you love, you learn
you cry, you learn
you lose, you learn
you bleed, you learn
you scream, you learn

(alanis morissette)

sábado, 20 de março de 2010

quase em SP...
ai, ai...
quero mto!

relembrando momentos.

era demais te ouvir cantando em espanhol
mil vezes a mesma música só pra mim...

a gente era tipo a música,
sempre em movimento.

vinicius disse.

uma beleza que vem da tristeza de se saber mulher...

a chuva me trouxe essa música.

oasis comigo. na chuva. de madrugada.

sexta-feira, 19 de março de 2010

de noite na cama
eu fico pensando
se vc me ama...

viver e morrer.

morrer por um amor é barato.
viver por um amor é bem mais caro.

(muito) carpinejar

tudo na hora certa.


a chuva tem vindo na hora certa
o cheiro delicioso das flores, mais ainda

as despedidas, na hora certa
os abraços, nem se fala

os olhares chegam quando menos se espera
e ainda assim, na hora certa

e o que dizer das pessoas
que entram de repente em nossas vidas

ah, as pessoas...
chegam sempre
na hora mais certa!

nike drake


alguém me ensinou a gostar...
e eu aprendi a amar!

love goes on.

estou pronta.

sou rei.


quando a esperança de uma noite de amor
lhe trouxer vontade para viver mais
e a promessa que a chance terminou
é bobagem é melhor deixar pra trás

eu tô cansado de sofrer,
quero dançar sentir calor
e poder só olhar o universo em torno de você

brilhando em vida, sorrindo à toa
só vibrando amor e paz
sinto a noite, penso em você
lembro como é bom amar

saiba que o simples perfume de uma flor
pode vir, e ser um grande amor na sua vida

não gaste palavras pra viver
de iludir, os seus sonhos tão raros com mentiras

não maltrate o coração,
que dedicou, ao seu sorriso as suas batidas

será livre pra sentir
anseios de uma paixão, a ser uma história linda

diga que me adora
deixe o orgulho e venha, porque já
está na hora, da gente se encontrar e sermos um

mas não demora, que é pra chama não desencantar
se esvair no ar, e só restar lembrança

sorri, sou rei
natiruts no opinião ontem... demais...
ah, demais.

quinta-feira, 18 de março de 2010

cores.

cabelos loiros
unhas verdes

flores de todas as cores
beijos com todos os sabores

vida tem muuuuita graça, eu diria.

milano...

por favor, um pouco mais de duomo para mim.
hoje acordei com fome...

descoberta.

ficou aqui a pequena e branca flor
lembrança de uma noite brilhando no ar...

quarta-feira, 17 de março de 2010

circunstâncias...

as pessoas que vencem neste mundo
são as que procuram as circunstâncias de que precisam
e, quando não as encontram, as criam.

bernard shaw
para mudar,
é preciso dar o primeiro passo.

(do divã, repica!!!!)

amigos me inspiram.

quando me falam coisas banais
ou coisas que preciso mudar e entender

quando me abraçam e me confortam
ou quando simplesmente ficam perto
para me fazer sorrir

amigos me inspiram
sempre e muito.

terça-feira, 16 de março de 2010

hojes e vias.


hoje vejo o quanto sou inteira
hoje vejo o quanto sorrio

hoje vi flores pelas ruas
hoje vi um sorriso novo e delicado

hoje via coisas que não entendia
e hoje mesmo já não mais as via

hoje, muito hoje
hoje ser, hoje seria

hoje não, não ia.
é uma outra via.

eu na madrugada.

constantemente me perdendo,
para em seguida tentar me achar novamente.

segunda-feira, 15 de março de 2010

num café.

misturando planos de mim mesma
com meus sonhos de paris...

nova série de coisas legais.

eu adoro andar de ônibus.
adoro os poemas que encontro todos os dias...


Trilhas

Urgência de ser eu mesmo,
cansaço de não me achar,
as rugas fizeram mapas
de não saber procurar.

Corpos de tantas miragens,
versos de pouco dizer,
será que jamais me acabo
para, de novo, nascer?

Alberto Cohen

domingo, 14 de março de 2010

simplify.

hoje eu voltei ao lugar mais legal do mundo.
o meu jardim. muito meu...
vou voltar sempre... sempre no meu jardim, olhando para o céu.

move on.

sem talento pra sentar e esperar.
Adesso non ti chiedo più nessuna scusa se ti chiamo ancora amore...

um pouco do ser mulher...


ser mulher é viver mil vezes em apenas uma vida,
é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora,
é estar antes do ontem e depois do amanhã,
é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos.

ser mulher é caminhar na dúvida cheia de certezas,
é correr atrás das nuvens num dia de sol e
alcançar o sol num dia de chuva.

ser mulher é chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza,
é cancelar sonhos em prol de terceiros,
é acreditar quando ninguém mais acredita,
é esperar quando ninguém mais espera.

ser mulher é identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa,
é ser enganada e sempre dar mais uma chance,
é cair no fundo do poço e emergir sem ajuda.

ser mulher é estar em mil lugares de uma só vez,
é fazer mil papeis ao mesmo tempo,
é ser forte e fingir que é frágil pra ter um carinho.

ser mulher é se perder em palavras e
depois perceber que se encontrou nelas,
é distribuir emoções que nem sempre são captadas.

ser mulher é comprar, emprestar, alugar,
vender sentimentos, mas jamais dever,
é construir castelos na areia,
vê-los desmoronados pelas águas e
ainda assim amá-las.

ser mulher é saber dar o perdão,
é tentar recuperar o irrecuperável,
é entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.

ser mulher é estender a mão a quem ainda não pediu,
é doar o que ainda não foi solicitado.

ser mulher é não ter vergonha de chorar por amor,
é saber a hora certa do fim,
é esperar sempre por um recomeço.

ser mulher é ter a arrogância de viver
apesar dos dissabores, das desilusões,
das traições e das decepções.

ser mulher é ser mãe dos seus filhos
e dos filhos de outros e amá-los igualmente.

ser mulher é ter confiança no amanhã e
aceitação pelo ontem,
é desbravar caminhos difíceis em instantes
inoportunos e fincar a bandeira da conquista.

ser mulher é entender as fases da lua por ter suas próprias fases.

é ser nova quando o coração está à espera do amor,
ser crescente quando o coração está se enchendo de amor,
ser cheia quando ele já está transbordando de tanto amor e
minguante quando esse amor vai embora.

ser mulher é hospedar dentro de si o sentimento do perdão,
é voltar no tempo todos os dias e viver
por poucos instantes coisas que nunca
ficaram esquecidas.

ser mulher é cicatrizar feridas de outros e
inúmeras vezes deixar as suas próprias feridas sangrando.

ser mulher é ser princesa aos 20,
rainha aos 30, imperatriz aos 40 e especial a vida toda.

ser mulher é conseguir encontrar uma flor no deserto,
água na seca e labaredas no mar.

ser mulher é chorar calada as dores do
mundo e em apenas um segundo já estar sorrindo.

ser mulher é subir degraus e se os tiver
que descer não precisar de ajuda,
é tropeçar, cair e voltar a andar.

ser mulher é saber ser super-homem
quando o sol nasce e
virar cinderela quando a noite chega.

ser mulher é ter sido escolhida para
colocar no mundo os homens.

ser mulher é acima de tudo um estado de espírito,
é uma dádiva,
é ter dentro de si um tesouro escondido
e ainda assim dividí-lo com o mundo!

(autor desconhecido)

never forgot.

shine on me.

para o domingo nublado.

paz e serenidade.

sábado, 13 de março de 2010

apaixonada, sim!

cada vez mais apaixonada

apaixonada pelas pessoas
apaixonada pelos momentos

ai, ai
apaixonada.

quase outono de novo.


é quase outono de novo
é aquela mesma época

é um vazio às vezes preenchido
às vezes mais espaçoso que o próprio nada

são quase folhas caindo
quase xícaras esquentando
quase abraços ainda mais apertando

quase outono de novo
muitas folhas vão cair
muitas xícaras bebidas quentes esquentar

quase outono de novo
esperando a calmaria de novo chegar

nem desistir, nem tentar.


mudaram as estações, nada mudou
mas eu sei que alguma coisa aconteceu
está tudo assim tão diferente...

se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
que tudo era pra sempre, sem saber, que o pra sempre
sempre acaba...

mas nada vai conseguir mudar o que ficou
quando penso em alguém só penso em você
e aí, então, estamos bem...

mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está
nem desistir, nem tentar agora tanto faz

estamos indo de volta pra casa...

(por enquanto, renato russo)

pra inspirar o final de semana.

la patience est amere, mais son fruit est doux.
(rousseau)

sexta-feira, 12 de março de 2010

contemplation

if today was perfect there would be no need for tomorrow.

vidraças sujas.



Um casal, recém casado, mudou-se para um bairro muito tranquilo.

Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou, através da janela, em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal ! Está precisando de um sabão novo. Seu eu tivesse intimidade, perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas !

O marido observou calado.

Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher tornou a comentar com o marido:

- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos ! Se eu tivesse intimidade, perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas !

E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.

Passado um tempo, a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos.

- Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que outra vizinha ensinou ? Porque eu não fiz nada !

E o marido calmamente respondeu:

- Não, hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela.


A tendência do ser humano em realçar os erros e defeitos dos outros o impede de enxergar as suas próprias vidraças sujas.

Lave suas vidraças, abra suas janelas.
heroísmo na relação é cuidar do óbvio.
carpinejar
eu adoro as dúvidas.
as dúvidas regeneram as verdades.
uma verdade parada não é paz, é abandono.

carpinejar

cera quente, por carpinejar.

ele escreve.
eu penso, repenso.
discordo. detesto.
adoro. quero mais.

mas sempre, sempre
o leio.

tava aqui


Casal feliz não tem amigos. Não tem testemunhas. Eu não caracterizaria de felicidade, é desinformação. Ninguém sabe da intimidade deles para definir o quanto estão ou não contentes.

Meu amor é brigado. Passa a imagem de tormenta, de crise, de luta, mas corresponde a uma convivência normal, de altos e baixos. Anormal é uma relação sem nenhuma anormalidade.

Não guardo pena de mim ou de minha namorada, mas dos amigos que seguram velas. Há sempre mais cera do que fogo.

Vivo pagando mico. Eles têm que suportar a bi-polaridade do amor. Uma coisa é segurar a vela no início do namoro, outra é segurar o próprio bolo com a teimosinha acendendo e apagando a cada sopro ou vento da janela.

Num dia cinzento, ligo para chorar que me separei, suspiro o uísque, fumo os soluços. Sou um suicida perigoso. Exijo cumplicidade, imunidade poética, obcecado em comprovar que não havia jeito de continuar. Falo mal à beça da namorada, destrato e subestimo o passado. Eles concordam.

No sol seguinte, fico condicionado a telefonar na maior desfaçatez e comunicar a reconciliação. É extremamente constrangedor. Contornei o que julgava irreparável, reabri o que anunciava como definitivo. Sou o salvador do suicida. Mudo o tom e a esperança. Falo bem à beça da namorada, elogio e exalto o futuro, reconheço o tanto que ela me apóia, descortino argumentos favoráveis e destaco a resistência da união que supera a mortalidade infantil das ameaças. Eles concordam.

Depois de publicar o retorno no Diário Oficial, eu me penitencio. Já estava na hora de entender: o par que apronta escândalo na despedida permanecerá junto. Perigosa é a separação seca, abrupta, cansada de explicações.

Às vezes, acho que não tenho que ceder, que amigo que é amigo providenciará um desconto e ouvirá a história pela enésima vez com o interesse da novidade. Na maior parte do tempo, acho que cometi bobagem e meus confidentes estão de saco cheio. Eu me afogo no raso. Talvez necessite mudar, vejo que engrandeço a vida a ponto de recusar uma mísera contrariedade e me vingo com o exagero.

A angústia é uma falsa urgência. Todo casal separado deveria não fazer absolutamente nada dentro do prazo de cinco dias. Não decidir movimentação alguma, permitir o corpo esfriar o desaforo, talvez entrar numa clínica ou num spa para desintoxicação vocabular.

O que acontece é cômico. Não transcorreu uma manhã do tumulto, vem uma sanha do remorso, uma conspiração maquiavélica a destruir os antecedentes. O amor se torna um crime impronunciável e mergulhamos numa mobilização desenfreada para limpar a memória, o computador e apagar as pistas. As fotos do orkut são excluídas, as senhas trocadas, as telas de proteção e os porta-retratos desaparecem, os livros afrouxam a costura sem a página da dedicatória, as cartas recebem a visita do picotador de papel. Até o chaveirinho mimoso, comprado no Brique da Redenção, é removido da argola das chaves.

Quando os dois voltam, sacrificou-se metade da memória. É aquela flutuação de fantasma na primeira semana. Uma impressão de que somos facilmente substituíveis e descartáveis.

Não se conservou nem o número no celular e experimenta-se a perversidade de perguntar de novo. O que foi construído durante meses entra numa caixinha para a caridade.

Qualquer morto depende de 24 horas antes de ser enterrado. O mesmo é indicado aos relacionamentos. Confie na ressurreição, não apresse a cova, poderá ser apenas mais um buraco no jardim.

cheia de coisas boas.

roda viva no ocidente

momentos e músicas.

um amigo me disse.

pra que terapia?
se eu posso demolir a parede
e fazer um apartamento onde todos convivam...

depois eu conto melhor essa história.

aprendendo com etimologia.

desânimo

des
anima

sem alma.

desanimar-se é quase ficar sem alma
então
tá dito
não desanime!
de jeito nenhum.

apenas.

"eu queria perder um pouco de tempo contigo"

quinta-feira, 11 de março de 2010

eu adoro clichês.
ganhei a noite antes mesmo de sair de casa.

comigo pela madrugada de ontem.


"nestas impressões sem nexo,
nem desejo de nexo,
narro indiferentemente a minha autobiografia sem factos,
a minha história sem vida.

são as minhas confissões,
e, se nelas nada digo,
é que nada tenho que dizer."

Fernando Pessoa
O Livro do Desassossego
estar sozinha
ouvir o mundo em mim

eu, como uma flor.


eu, como uma flor
talvez solitária num pequeno vaso
talvez imersa num enorme jardim

eu, como uma flor
não interessa tanto onde nem como
mas como todo o amor em mim

simples assim.

os dois lados da mesma rua.


hoje eu descobri que o outro lado da rua é mais bonito
tem mais árvores, cores, é mais silencioso

eu acabei vindo pelo outro lado da rua
não sei dizer o motivo

e isso acontece bastante
a gente adora um lado da rua
anda sempre naquele lado
atravessa sempre no mesmo local...

existem tantas ruas, tantos lados
pra gente conhecer

por que andar sempre na mesma rua?
sempre pelo mesmo lado?